Domingo, 5 de Fevereiro de 2012

Caboclo Boiadeiro do Maranhão




Caboclo Boiadeiro do Maranhão

Salve a linha dos Boiadeiros, vamos falar sobre um deles, o caboclo Boiadeiro do Maranhão, Os caboclos boiadeiros formam uma grande falange de caboclos de garra, de força e muita fé. Os caboclos boiadeiros são entidades amigas e que trazem muita paz; são alguns deles: boiadeiro do maranhão, das campinas, do araripe, João boiadeiro e etc.
Boiadeiro com seu laço na mão e seu chapéu de couro, ele vem laçar seus bois e nos proteger.
Parabens aos médiuns que trabalham com boiadeiro do maranhão, uma entidade de luz e paz, que ajuda  nas horas difíceis os necessitados e a todos de quem dele precisam.
Seu boiadeiro do maranhão é uma entidade que não nega, a um filho, uma palavra de conforto, carinho e paz, assim dando prosseguidade ao seu processo de evolução, trazendo a todos a plena paz de espirito.





A Boiada é onde leva seu rumo
O vento é sua brisa diurna
A noite a fogueira esquenta seu corpo
Seu laço é seu guia
Sua faca corta a mata virgem
E em seu chapéu esta mamãe Oxum
Jetuá Boiadeiro
Salve seus caminhos 
Salve a luz que lhe guia.                          




Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
RECOMENDE AQUI ESTE ARTIGO NO BOTÃO +1
tags:
publicado por espadadeogum às 13:00
link do post | comentar | favorito
|

Caboclo Boiadeiro do Maranhão




Caboclo Boiadeiro do Maranhão

Salve a linha dos Boiadeiros, vamos falar sobre um deles, o caboclo Boiadeiro do Maranhão, Os caboclos boiadeiros formam uma grande falange de caboclos de garra, de força e muita fé. Os caboclos boiadeiros são entidades amigas e que trazem muita paz; são alguns deles: boiadeiro do maranhão, das campinas, do araripe, João boiadeiro e etc.
Boiadeiro com seu laço na mão e seu chapéu de couro, ele vem laçar seus bois e nos proteger.
Parabens aos médiuns que trabalham com boiadeiro do maranhão, uma entidade de luz e paz, que ajuda  nas horas difíceis os necessitados e a todos de quem dele precisam.
Seu boiadeiro do maranhão é uma entidade que não nega, a um filho, uma palavra de conforto, carinho e paz, assim dando prosseguidade ao seu processo de evolução, trazendo a todos a plena paz de espirito.





A Boiada é onde leva seu rumo
O vento é sua brisa diurna
A noite a fogueira esquenta seu corpo
Seu laço é seu guia
Sua faca corta a mata virgem
E em seu chapéu esta mamãe Oxum
Jetuá Boiadeiro
Salve seus caminhos 
Salve a luz que lhe guia.                          




Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
RECOMENDE AQUI ESTE ARTIGO NO BOTÃO +1
tags:
publicado por espadadeogum às 13:00
link do post | comentar | favorito
|

Caboclo Boiadeiro do Maranhão




Caboclo Boiadeiro do Maranhão

Salve a linha dos Boiadeiros, vamos falar sobre um deles, o caboclo Boiadeiro do Maranhão, Os caboclos boiadeiros formam uma grande falange de caboclos de garra, de força e muita fé. Os caboclos boiadeiros são entidades amigas e que trazem muita paz; são alguns deles: boiadeiro do maranhão, das campinas, do araripe, João boiadeiro e etc.
Boiadeiro com seu laço na mão e seu chapéu de couro, ele vem laçar seus bois e nos proteger.
Parabens aos médiuns que trabalham com boiadeiro do maranhão, uma entidade de luz e paz, que ajuda  nas horas difíceis os necessitados e a todos de quem dele precisam.
Seu boiadeiro do maranhão é uma entidade que não nega, a um filho, uma palavra de conforto, carinho e paz, assim dando prosseguidade ao seu processo de evolução, trazendo a todos a plena paz de espirito.





A Boiada é onde leva seu rumo
O vento é sua brisa diurna
A noite a fogueira esquenta seu corpo
Seu laço é seu guia
Sua faca corta a mata virgem
E em seu chapéu esta mamãe Oxum
Jetuá Boiadeiro
Salve seus caminhos 
Salve a luz que lhe guia.                          




Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
RECOMENDE AQUI ESTE ARTIGO NO BOTÃO +1
tags:
publicado por espadadeogum às 13:00
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 20 de Março de 2011

Fotos de Caboclos Boiadeiros


Os Cablocos Boiadeiros chegam nos terreiros de Umbanda e de Candomblé, vem com o pé calçado e outro no chão, com seu chapéu de couro e seu chicote do lado, eles trazem alegria dando seu lindo brado.
O Caboclo Boiadeiro traz o seu sangue quente do sertão, e o cheiro de carne queimada pelo sol das grandes caminhadas sempre tocando seu berrante para guiar o seu gado. Normalmente, eles fazem duas festas por ano, uma no inicio e outra no meio do ano. Eles são logo reconhecidos pela forma diferente de dançar, tem uma coreografia intricada de passos rápidos e ágeis, que mais parece um dançarino mímico, lidando bravamente com os bois.
Seu dia é quinta feira, gosta de bebida forte como por exemplo cachaça com mel de abelha, que eles chamam de meladinha, seu prato preferido é carne de boi com feijão tropeiro, feito com feijão de corda ou feijão cavalo. Ao amanhecer o dia, o Boiadeiro arruma seu cavalo e leva seu gado para o pasto, somente volta com o cair da tarde, trazendo o gado de volta para o curral. Nas caminhadas toca seu berrante e sua viola cantando sempre uma modinha para sua amada, que fica na janela do sobrado, pois os grandes donos das fazendas não permitem a mistura de empregados com a patroa, foi este um dos grandes motivos de morte dos tocadores de gado.
Devemos levar nas obrigações de Boiadeiro um pedaço de pano vermelho, para representar o lenço do pescoço, um pedaço de corda virgem. Boiadeiro também gosta muito de abóbora com farofa de torresmo e é sempre bom colocar um pedaço de fumo de rolo e cigarro de palha.
Dentre muitos Boiadeiros, citamos: Boiadeiro Capitão (ou Zé do Mato),Boiadeiro na Jurema, Lajedo, Boiadeiro do Rio, Carreiro, Boiadeiro do Ingá, Navizala, Boiadeiro de Imbaúba, João Boiadeiro, Boiadeiro Chapéu de Couro, Boiadeiro Juremá, Zé Mineiro e Boiadeiro do Chapadão, etc ...
Sua saudação: "Xetro Marrumbaxêtro", "Minakêto Navizála"

a



































































































Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 12:17
link do post | comentar | favorito
|

Fotos de Caboclos Boiadeiros


Os Cablocos Boiadeiros chegam nos terreiros de Umbanda e de Candomblé, vem com o pé calçado e outro no chão, com seu chapéu de couro e seu chicote do lado, eles trazem alegria dando seu lindo brado.
O Caboclo Boiadeiro traz o seu sangue quente do sertão, e o cheiro de carne queimada pelo sol das grandes caminhadas sempre tocando seu berrante para guiar o seu gado. Normalmente, eles fazem duas festas por ano, uma no inicio e outra no meio do ano. Eles são logo reconhecidos pela forma diferente de dançar, tem uma coreografia intricada de passos rápidos e ágeis, que mais parece um dançarino mímico, lidando bravamente com os bois.
Seu dia é quinta feira, gosta de bebida forte como por exemplo cachaça com mel de abelha, que eles chamam de meladinha, seu prato preferido é carne de boi com feijão tropeiro, feito com feijão de corda ou feijão cavalo. Ao amanhecer o dia, o Boiadeiro arruma seu cavalo e leva seu gado para o pasto, somente volta com o cair da tarde, trazendo o gado de volta para o curral. Nas caminhadas toca seu berrante e sua viola cantando sempre uma modinha para sua amada, que fica na janela do sobrado, pois os grandes donos das fazendas não permitem a mistura de empregados com a patroa, foi este um dos grandes motivos de morte dos tocadores de gado.
Devemos levar nas obrigações de Boiadeiro um pedaço de pano vermelho, para representar o lenço do pescoço, um pedaço de corda virgem. Boiadeiro também gosta muito de abóbora com farofa de torresmo e é sempre bom colocar um pedaço de fumo de rolo e cigarro de palha.
Dentre muitos Boiadeiros, citamos: Boiadeiro Capitão (ou Zé do Mato),Boiadeiro na Jurema, Lajedo, Boiadeiro do Rio, Carreiro, Boiadeiro do Ingá, Navizala, Boiadeiro de Imbaúba, João Boiadeiro, Boiadeiro Chapéu de Couro, Boiadeiro Juremá, Zé Mineiro e Boiadeiro do Chapadão, etc ...
Sua saudação: "Xetro Marrumbaxêtro", "Minakêto Navizála"

a



































































































Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 12:17
link do post | comentar | favorito
|

Fotos de Caboclos Boiadeiros


Os Cablocos Boiadeiros chegam nos terreiros de Umbanda e de Candomblé, vem com o pé calçado e outro no chão, com seu chapéu de couro e seu chicote do lado, eles trazem alegria dando seu lindo brado.
O Caboclo Boiadeiro traz o seu sangue quente do sertão, e o cheiro de carne queimada pelo sol das grandes caminhadas sempre tocando seu berrante para guiar o seu gado. Normalmente, eles fazem duas festas por ano, uma no inicio e outra no meio do ano. Eles são logo reconhecidos pela forma diferente de dançar, tem uma coreografia intricada de passos rápidos e ágeis, que mais parece um dançarino mímico, lidando bravamente com os bois.
Seu dia é quinta feira, gosta de bebida forte como por exemplo cachaça com mel de abelha, que eles chamam de meladinha, seu prato preferido é carne de boi com feijão tropeiro, feito com feijão de corda ou feijão cavalo. Ao amanhecer o dia, o Boiadeiro arruma seu cavalo e leva seu gado para o pasto, somente volta com o cair da tarde, trazendo o gado de volta para o curral. Nas caminhadas toca seu berrante e sua viola cantando sempre uma modinha para sua amada, que fica na janela do sobrado, pois os grandes donos das fazendas não permitem a mistura de empregados com a patroa, foi este um dos grandes motivos de morte dos tocadores de gado.
Devemos levar nas obrigações de Boiadeiro um pedaço de pano vermelho, para representar o lenço do pescoço, um pedaço de corda virgem. Boiadeiro também gosta muito de abóbora com farofa de torresmo e é sempre bom colocar um pedaço de fumo de rolo e cigarro de palha.
Dentre muitos Boiadeiros, citamos: Boiadeiro Capitão (ou Zé do Mato),Boiadeiro na Jurema, Lajedo, Boiadeiro do Rio, Carreiro, Boiadeiro do Ingá, Navizala, Boiadeiro de Imbaúba, João Boiadeiro, Boiadeiro Chapéu de Couro, Boiadeiro Juremá, Zé Mineiro e Boiadeiro do Chapadão, etc ...
Sua saudação: "Xetro Marrumbaxêtro", "Minakêto Navizála"

a



































































































Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 12:17
link do post | comentar | favorito
|

Fotos de Caboclos Boiadeiros


Os Cablocos Boiadeiros chegam nos terreiros de Umbanda e de Candomblé, vem com o pé calçado e outro no chão, com seu chapéu de couro e seu chicote do lado, eles trazem alegria dando seu lindo brado.
O Caboclo Boiadeiro traz o seu sangue quente do sertão, e o cheiro de carne queimada pelo sol das grandes caminhadas sempre tocando seu berrante para guiar o seu gado. Normalmente, eles fazem duas festas por ano, uma no inicio e outra no meio do ano. Eles são logo reconhecidos pela forma diferente de dançar, tem uma coreografia intricada de passos rápidos e ágeis, que mais parece um dançarino mímico, lidando bravamente com os bois.
Seu dia é quinta feira, gosta de bebida forte como por exemplo cachaça com mel de abelha, que eles chamam de meladinha, seu prato preferido é carne de boi com feijão tropeiro, feito com feijão de corda ou feijão cavalo. Ao amanhecer o dia, o Boiadeiro arruma seu cavalo e leva seu gado para o pasto, somente volta com o cair da tarde, trazendo o gado de volta para o curral. Nas caminhadas toca seu berrante e sua viola cantando sempre uma modinha para sua amada, que fica na janela do sobrado, pois os grandes donos das fazendas não permitem a mistura de empregados com a patroa, foi este um dos grandes motivos de morte dos tocadores de gado.
Devemos levar nas obrigações de Boiadeiro um pedaço de pano vermelho, para representar o lenço do pescoço, um pedaço de corda virgem. Boiadeiro também gosta muito de abóbora com farofa de torresmo e é sempre bom colocar um pedaço de fumo de rolo e cigarro de palha.
Dentre muitos Boiadeiros, citamos: Boiadeiro Capitão (ou Zé do Mato),Boiadeiro na Jurema, Lajedo, Boiadeiro do Rio, Carreiro, Boiadeiro do Ingá, Navizala, Boiadeiro de Imbaúba, João Boiadeiro, Boiadeiro Chapéu de Couro, Boiadeiro Juremá, Zé Mineiro e Boiadeiro do Chapadão, etc ...
Sua saudação: "Xetro Marrumbaxêtro", "Minakêto Navizála"

a



































































































Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 12:17
link do post | comentar | favorito
|

Caboclo Boiadeiro





O Boadeiro que será do gado sem você?, toca a boiada peão, 
O som do berrante vem com o vento empurrado pelo pulmão do errante, sol e chuva não atrasa a a chegada, olhos grudados nas estradas e campos desbravados, chega mais assenta o boiadeiro na cadeira atendendo o chamado do patrão, combina o trato e alisa a montaria, não deixa os animais cansarem sem ter agua na pradaria, corre a frente mas chega depois do gado no destino, não perde novilhas muito menos seu arreio, banha-se nas aguas doadas por Oxalá, corta campinas sem prejudicar o pasto, tire o chapéu nas encruzilhadas e pede passagem, saúda o sol e a chagada da noite, com fé percorre o dia e descansa ao entardecer, amanhece vestido e dorme coberto com o manto de nossa senhora. 
 Boiadeiro é uma entidade que representa a natureza desbravadora, romântica, simples e persistente do homem do sertão, “o caboclo sertanejo”. São os vaqueiros, boiadeiros, laçadores, peões, tocadores de viola … é o mestiço brasileiro, filho de branco com índio, índio com negro e assim vai. Para algumas correntes de pensamento umbandista, esses espíritos já foram Exus e, numa transição de grau evolutivo, hoje se manifestam como caboclos boiadeiros.

 
Sofreram preconceitos como sendo os “sem raça” e sem origem mas ganharam a terra do sertão com seu trabalho e luta, sempre respeitando a natureza e aprendendo um pouco com o índio e suas ervas que curam; um pouco com o negro e seus Orixás, mirongas e feitiços; um pouco com o branco e sua religião que fala de Jesus e de Nossa Senhora com respeito e carinho.

 
Formam uma linha mais recente de espíritos, já que na primeira década da fundação da Umbanda, em 1908, não havia manifestação explícita dessa linha de trabalho. No astral, porém, ela já se preparava para trazer seus ensinamentos, sua alegria e suas experiências, chegando em massa após os anos 20. Os boiadeiros já conviveram mais com a modernidade, com a utilização da roda, do ferro, das armas de fogo e com a prática da magia na terra, e esse ponto ajuda muito a diferenciá-los dos caboclos, que representam povos de costumes mais primitivos e conhecimentos mais naturais.

 
De modo geral os Boiadeiros usam chapéus de couro com abas largas para proteger do sol forte, calças com as barras arregaçadas e movimentam-se muito rápido. O chicote e o laço são suas “armas espirituais”, verdadeiros mistérios, e com eles vão quebrando as energias negativas e descarregando os médiuns, o terreiro e os consulentes. A corda é usada com sabedoria para laçar o “boi brabo”, para “pegar aquele que se afasta da boiada”, ou para “derrubar o boi para abate”.

 
Dentro do campo mediúnico os boiadeiros fortalecem o médium, abrindo a porteira para a entrada dos outros guias e tornando-se grandes protetores, como os Exus. Da mesma maneira que os Pretos Velhos representam a humildade, os Boiadeiros representam a liberdade e a determinação que existe no homem do campo e a sua necessidade de conviver com a natureza e os animais, sempre de maneira simples mas com uma força e uma fé gigantescas.


Jetuê, Jetuá

Corda de laçar meu boi

Jetuê, Jetuá

Corda de meu boi laçar

Jetuê, Jetuá

Boiadeiro laçador

Jetuê, Jetuá

Meu boi fugiu, eu vou laçar ….

Salve os Boiadeiros! 


Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 11:16
link do post | comentar | favorito
|

Caboclo Boiadeiro





O Boadeiro que será do gado sem você?, toca a boiada peão, 
O som do berrante vem com o vento empurrado pelo pulmão do errante, sol e chuva não atrasa a a chegada, olhos grudados nas estradas e campos desbravados, chega mais assenta o boiadeiro na cadeira atendendo o chamado do patrão, combina o trato e alisa a montaria, não deixa os animais cansarem sem ter agua na pradaria, corre a frente mas chega depois do gado no destino, não perde novilhas muito menos seu arreio, banha-se nas aguas doadas por Oxalá, corta campinas sem prejudicar o pasto, tire o chapéu nas encruzilhadas e pede passagem, saúda o sol e a chagada da noite, com fé percorre o dia e descansa ao entardecer, amanhece vestido e dorme coberto com o manto de nossa senhora. 
 Boiadeiro é uma entidade que representa a natureza desbravadora, romântica, simples e persistente do homem do sertão, “o caboclo sertanejo”. São os vaqueiros, boiadeiros, laçadores, peões, tocadores de viola … é o mestiço brasileiro, filho de branco com índio, índio com negro e assim vai. Para algumas correntes de pensamento umbandista, esses espíritos já foram Exus e, numa transição de grau evolutivo, hoje se manifestam como caboclos boiadeiros.

 
Sofreram preconceitos como sendo os “sem raça” e sem origem mas ganharam a terra do sertão com seu trabalho e luta, sempre respeitando a natureza e aprendendo um pouco com o índio e suas ervas que curam; um pouco com o negro e seus Orixás, mirongas e feitiços; um pouco com o branco e sua religião que fala de Jesus e de Nossa Senhora com respeito e carinho.

 
Formam uma linha mais recente de espíritos, já que na primeira década da fundação da Umbanda, em 1908, não havia manifestação explícita dessa linha de trabalho. No astral, porém, ela já se preparava para trazer seus ensinamentos, sua alegria e suas experiências, chegando em massa após os anos 20. Os boiadeiros já conviveram mais com a modernidade, com a utilização da roda, do ferro, das armas de fogo e com a prática da magia na terra, e esse ponto ajuda muito a diferenciá-los dos caboclos, que representam povos de costumes mais primitivos e conhecimentos mais naturais.

 
De modo geral os Boiadeiros usam chapéus de couro com abas largas para proteger do sol forte, calças com as barras arregaçadas e movimentam-se muito rápido. O chicote e o laço são suas “armas espirituais”, verdadeiros mistérios, e com eles vão quebrando as energias negativas e descarregando os médiuns, o terreiro e os consulentes. A corda é usada com sabedoria para laçar o “boi brabo”, para “pegar aquele que se afasta da boiada”, ou para “derrubar o boi para abate”.

 
Dentro do campo mediúnico os boiadeiros fortalecem o médium, abrindo a porteira para a entrada dos outros guias e tornando-se grandes protetores, como os Exus. Da mesma maneira que os Pretos Velhos representam a humildade, os Boiadeiros representam a liberdade e a determinação que existe no homem do campo e a sua necessidade de conviver com a natureza e os animais, sempre de maneira simples mas com uma força e uma fé gigantescas.


Jetuê, Jetuá

Corda de laçar meu boi

Jetuê, Jetuá

Corda de meu boi laçar

Jetuê, Jetuá

Boiadeiro laçador

Jetuê, Jetuá

Meu boi fugiu, eu vou laçar ….

Salve os Boiadeiros! 


Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 11:16
link do post | comentar | favorito
|

Caboclo Boiadeiro





O Boadeiro que será do gado sem você?, toca a boiada peão, 
O som do berrante vem com o vento empurrado pelo pulmão do errante, sol e chuva não atrasa a a chegada, olhos grudados nas estradas e campos desbravados, chega mais assenta o boiadeiro na cadeira atendendo o chamado do patrão, combina o trato e alisa a montaria, não deixa os animais cansarem sem ter agua na pradaria, corre a frente mas chega depois do gado no destino, não perde novilhas muito menos seu arreio, banha-se nas aguas doadas por Oxalá, corta campinas sem prejudicar o pasto, tire o chapéu nas encruzilhadas e pede passagem, saúda o sol e a chagada da noite, com fé percorre o dia e descansa ao entardecer, amanhece vestido e dorme coberto com o manto de nossa senhora. 
 Boiadeiro é uma entidade que representa a natureza desbravadora, romântica, simples e persistente do homem do sertão, “o caboclo sertanejo”. São os vaqueiros, boiadeiros, laçadores, peões, tocadores de viola … é o mestiço brasileiro, filho de branco com índio, índio com negro e assim vai. Para algumas correntes de pensamento umbandista, esses espíritos já foram Exus e, numa transição de grau evolutivo, hoje se manifestam como caboclos boiadeiros.

 
Sofreram preconceitos como sendo os “sem raça” e sem origem mas ganharam a terra do sertão com seu trabalho e luta, sempre respeitando a natureza e aprendendo um pouco com o índio e suas ervas que curam; um pouco com o negro e seus Orixás, mirongas e feitiços; um pouco com o branco e sua religião que fala de Jesus e de Nossa Senhora com respeito e carinho.

 
Formam uma linha mais recente de espíritos, já que na primeira década da fundação da Umbanda, em 1908, não havia manifestação explícita dessa linha de trabalho. No astral, porém, ela já se preparava para trazer seus ensinamentos, sua alegria e suas experiências, chegando em massa após os anos 20. Os boiadeiros já conviveram mais com a modernidade, com a utilização da roda, do ferro, das armas de fogo e com a prática da magia na terra, e esse ponto ajuda muito a diferenciá-los dos caboclos, que representam povos de costumes mais primitivos e conhecimentos mais naturais.

 
De modo geral os Boiadeiros usam chapéus de couro com abas largas para proteger do sol forte, calças com as barras arregaçadas e movimentam-se muito rápido. O chicote e o laço são suas “armas espirituais”, verdadeiros mistérios, e com eles vão quebrando as energias negativas e descarregando os médiuns, o terreiro e os consulentes. A corda é usada com sabedoria para laçar o “boi brabo”, para “pegar aquele que se afasta da boiada”, ou para “derrubar o boi para abate”.

 
Dentro do campo mediúnico os boiadeiros fortalecem o médium, abrindo a porteira para a entrada dos outros guias e tornando-se grandes protetores, como os Exus. Da mesma maneira que os Pretos Velhos representam a humildade, os Boiadeiros representam a liberdade e a determinação que existe no homem do campo e a sua necessidade de conviver com a natureza e os animais, sempre de maneira simples mas com uma força e uma fé gigantescas.


Jetuê, Jetuá

Corda de laçar meu boi

Jetuê, Jetuá

Corda de meu boi laçar

Jetuê, Jetuá

Boiadeiro laçador

Jetuê, Jetuá

Meu boi fugiu, eu vou laçar ….

Salve os Boiadeiros! 


Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com
tags:
publicado por espadadeogum às 11:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Caboclo Boiadeiro do Mara...

. Caboclo Boiadeiro do Mara...

. Caboclo Boiadeiro do Mara...

. Fotos de Caboclos Boiadei...

. Fotos de Caboclos Boiadei...

. Fotos de Caboclos Boiadei...

. Fotos de Caboclos Boiadei...

. Caboclo Boiadeiro

. Caboclo Boiadeiro

. Caboclo Boiadeiro

.arquivos

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds