Terça-feira, 8 de Setembro de 2009

Guias e fios de conta da Umbanda


São colares feitos de miçangas coloridas representativas do orixá correspondente. São símbolos de um grande efeito mágico, quando cruzadas. As guias podem ser cruzadas com pemba ou amacy, ato oficiado pelo Pai de Santo ou por uma entidade espiritual deste.

Ao ser batizado na Umbanda, o filho de santo recebe a guia do Anjo da guarda ou de Oxalá. Ao fazer a primeira iniciação, ou seja, Borí, recebe as guias do Pai e da Mãe e opcionalmente a guia do seu responsável (caboclo ou preto-velho). Após, conforme seu desenvolvimento, poderá ir recebendo as guias dos outros orixás, sempre em comum acordo com o Pai de Santo. Por ocasião da segunda iniciação, Pai ou Mãe Pequena, recebe a guia correspondente e, quando da terceira iniciação recebe a guia de Babalaorixá ou Ialorixá.

Nos reforços de 7, 14 e 21 anos de babá o filho de santo recebe as guias correspondentes, ditadas pelo Pai de Santo no momento oportuno.

As guias devem ser tratadas pelos médiuns com todo carinho e o máximo de respeito pois elas representam o orixá e a segurança do médium.

Nenhuma pessoa estranha poderá tocar nelas e estas devem ser sempre limpas e guardadas no terreiro ou em algum lugar longe do alcance e visão dos curiosos. Lembre-se que as guias são objetos sagrados e como tal devem ser tratadas.

No ritual Almas e Angola cultuado conforme os preceitos ditados por Mãe Ida de Xangô e Pai Evaldo de Oxalá, os grandes baluartes deste segmento da Umbanda, as guias de sete fios são de uso exclusivo para os filhos de santo reforçados, ou seja, após o reforço de sete anos.

Damos alguns exemplos de guias utilizadas neste ritual:

Guia de Oxalá:
180 contas de massa de cor branca número 8 ou 150 contas número 10 e um crucifixo. Pode-se intercalar com miçangas brancas a cada 6, 7, 8, 10 ou 12 contas normais. Fecha-se a guia com duas firmas brancas leitosas. A guia de 7 fios com miçangas pequenas é aconselhável somente para o filho de santo que fizer reforço de 7 anos.

Guia de Orixá:
Quando é Pai de cabeça: 70 miçangas de cristal na cor do orixá, 60 miçangas de massa (porcelana) na mesma cor, número 10, 9 firmas vermelhas, 1 medalha do orixá (sincretismo católico). Podem, as miçangas serem todas de cristal (vidro). Intercala-se assim:

3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...
medalha
3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...

Quando o orixá não é dono da cabeça: 119 miçangas de cristal na cor do orixá, 51 miçangas de massa na mesma cor número 8 (podem ser todas de cristal ou com intercalos iguais a de Oxalá), 1 medalha do orixá e intercala-se assim:


7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma
medalha
7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma

Guia de Obaluaê:
Quando é Pai de cabeça: 137 miçangas pretas de cristal número 10, 10 miçangas brancas de massa número 12, 1 crucifixo. Intercala-se uma branca entre cada 13 pretas e ao fechar coloca-se 7 pretas de cada lado e por último duas firmas que podem ser duas brancas ou uma preta e uma branca.

Guia de Preto-velho:
90 miçangas brancas de massa e 90 pretas de massa ou cristal número 8, 1 crucifixo. Intercala-se 3 brancas e 3 pretas sucessivamente. Ao fechar usa-se duas firmas brancas ou uma branca e uma preta.

Guia de Bejada:
A cor característica desse orixá, no Almas e Angola, é o rosa, porém nas suas guias pode-se mesclar com um pouco de contas azuis se a bejada for menino. A medalha deve ser de São Cosme e Damião.

Guia de Exú:
77 miçangas de cristal preta e 77 vermelhas número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se de 7 em 7 e fecha-se com duas firmas, uma vermelha e uma preta.

Guia de Pomba-gira:
78 miçangas de cristal vermelhas s 78 pretas de número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se três contas de cada cor e fecha-se com duas firmas (vermelha e preta).

Para as guias de Exú e Pomba-gira pode-se colocar medalhas sugestivas ou amuletos destas entidades.

Emidio de Ogum
publicado por espadadeogum às 18:44
link do post | comentar | favorito
|

Guias e fios de conta da Umbanda


São colares feitos de miçangas coloridas representativas do orixá correspondente. São símbolos de um grande efeito mágico, quando cruzadas. As guias podem ser cruzadas com pemba ou amacy, ato oficiado pelo Pai de Santo ou por uma entidade espiritual deste.

Ao ser batizado na Umbanda, o filho de santo recebe a guia do Anjo da guarda ou de Oxalá. Ao fazer a primeira iniciação, ou seja, Borí, recebe as guias do Pai e da Mãe e opcionalmente a guia do seu responsável (caboclo ou preto-velho). Após, conforme seu desenvolvimento, poderá ir recebendo as guias dos outros orixás, sempre em comum acordo com o Pai de Santo. Por ocasião da segunda iniciação, Pai ou Mãe Pequena, recebe a guia correspondente e, quando da terceira iniciação recebe a guia de Babalaorixá ou Ialorixá.

Nos reforços de 7, 14 e 21 anos de babá o filho de santo recebe as guias correspondentes, ditadas pelo Pai de Santo no momento oportuno.

As guias devem ser tratadas pelos médiuns com todo carinho e o máximo de respeito pois elas representam o orixá e a segurança do médium.

Nenhuma pessoa estranha poderá tocar nelas e estas devem ser sempre limpas e guardadas no terreiro ou em algum lugar longe do alcance e visão dos curiosos. Lembre-se que as guias são objetos sagrados e como tal devem ser tratadas.

No ritual Almas e Angola cultuado conforme os preceitos ditados por Mãe Ida de Xangô e Pai Evaldo de Oxalá, os grandes baluartes deste segmento da Umbanda, as guias de sete fios são de uso exclusivo para os filhos de santo reforçados, ou seja, após o reforço de sete anos.

Damos alguns exemplos de guias utilizadas neste ritual:

Guia de Oxalá:
180 contas de massa de cor branca número 8 ou 150 contas número 10 e um crucifixo. Pode-se intercalar com miçangas brancas a cada 6, 7, 8, 10 ou 12 contas normais. Fecha-se a guia com duas firmas brancas leitosas. A guia de 7 fios com miçangas pequenas é aconselhável somente para o filho de santo que fizer reforço de 7 anos.

Guia de Orixá:
Quando é Pai de cabeça: 70 miçangas de cristal na cor do orixá, 60 miçangas de massa (porcelana) na mesma cor, número 10, 9 firmas vermelhas, 1 medalha do orixá (sincretismo católico). Podem, as miçangas serem todas de cristal (vidro). Intercala-se assim:

3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...
medalha
3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...

Quando o orixá não é dono da cabeça: 119 miçangas de cristal na cor do orixá, 51 miçangas de massa na mesma cor número 8 (podem ser todas de cristal ou com intercalos iguais a de Oxalá), 1 medalha do orixá e intercala-se assim:


7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma
medalha
7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma

Guia de Obaluaê:
Quando é Pai de cabeça: 137 miçangas pretas de cristal número 10, 10 miçangas brancas de massa número 12, 1 crucifixo. Intercala-se uma branca entre cada 13 pretas e ao fechar coloca-se 7 pretas de cada lado e por último duas firmas que podem ser duas brancas ou uma preta e uma branca.

Guia de Preto-velho:
90 miçangas brancas de massa e 90 pretas de massa ou cristal número 8, 1 crucifixo. Intercala-se 3 brancas e 3 pretas sucessivamente. Ao fechar usa-se duas firmas brancas ou uma branca e uma preta.

Guia de Bejada:
A cor característica desse orixá, no Almas e Angola, é o rosa, porém nas suas guias pode-se mesclar com um pouco de contas azuis se a bejada for menino. A medalha deve ser de São Cosme e Damião.

Guia de Exú:
77 miçangas de cristal preta e 77 vermelhas número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se de 7 em 7 e fecha-se com duas firmas, uma vermelha e uma preta.

Guia de Pomba-gira:
78 miçangas de cristal vermelhas s 78 pretas de número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se três contas de cada cor e fecha-se com duas firmas (vermelha e preta).

Para as guias de Exú e Pomba-gira pode-se colocar medalhas sugestivas ou amuletos destas entidades.

Emidio de Ogum
publicado por espadadeogum às 18:44
link do post | comentar | favorito
|

Guias e fios de conta da Umbanda


São colares feitos de miçangas coloridas representativas do orixá correspondente. São símbolos de um grande efeito mágico, quando cruzadas. As guias podem ser cruzadas com pemba ou amacy, ato oficiado pelo Pai de Santo ou por uma entidade espiritual deste.

Ao ser batizado na Umbanda, o filho de santo recebe a guia do Anjo da guarda ou de Oxalá. Ao fazer a primeira iniciação, ou seja, Borí, recebe as guias do Pai e da Mãe e opcionalmente a guia do seu responsável (caboclo ou preto-velho). Após, conforme seu desenvolvimento, poderá ir recebendo as guias dos outros orixás, sempre em comum acordo com o Pai de Santo. Por ocasião da segunda iniciação, Pai ou Mãe Pequena, recebe a guia correspondente e, quando da terceira iniciação recebe a guia de Babalaorixá ou Ialorixá.

Nos reforços de 7, 14 e 21 anos de babá o filho de santo recebe as guias correspondentes, ditadas pelo Pai de Santo no momento oportuno.

As guias devem ser tratadas pelos médiuns com todo carinho e o máximo de respeito pois elas representam o orixá e a segurança do médium.

Nenhuma pessoa estranha poderá tocar nelas e estas devem ser sempre limpas e guardadas no terreiro ou em algum lugar longe do alcance e visão dos curiosos. Lembre-se que as guias são objetos sagrados e como tal devem ser tratadas.

No ritual Almas e Angola cultuado conforme os preceitos ditados por Mãe Ida de Xangô e Pai Evaldo de Oxalá, os grandes baluartes deste segmento da Umbanda, as guias de sete fios são de uso exclusivo para os filhos de santo reforçados, ou seja, após o reforço de sete anos.

Damos alguns exemplos de guias utilizadas neste ritual:

Guia de Oxalá:
180 contas de massa de cor branca número 8 ou 150 contas número 10 e um crucifixo. Pode-se intercalar com miçangas brancas a cada 6, 7, 8, 10 ou 12 contas normais. Fecha-se a guia com duas firmas brancas leitosas. A guia de 7 fios com miçangas pequenas é aconselhável somente para o filho de santo que fizer reforço de 7 anos.

Guia de Orixá:
Quando é Pai de cabeça: 70 miçangas de cristal na cor do orixá, 60 miçangas de massa (porcelana) na mesma cor, número 10, 9 firmas vermelhas, 1 medalha do orixá (sincretismo católico). Podem, as miçangas serem todas de cristal (vidro). Intercala-se assim:

3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...
medalha
3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...

Quando o orixá não é dono da cabeça: 119 miçangas de cristal na cor do orixá, 51 miçangas de massa na mesma cor número 8 (podem ser todas de cristal ou com intercalos iguais a de Oxalá), 1 medalha do orixá e intercala-se assim:


7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma
medalha
7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma

Guia de Obaluaê:
Quando é Pai de cabeça: 137 miçangas pretas de cristal número 10, 10 miçangas brancas de massa número 12, 1 crucifixo. Intercala-se uma branca entre cada 13 pretas e ao fechar coloca-se 7 pretas de cada lado e por último duas firmas que podem ser duas brancas ou uma preta e uma branca.

Guia de Preto-velho:
90 miçangas brancas de massa e 90 pretas de massa ou cristal número 8, 1 crucifixo. Intercala-se 3 brancas e 3 pretas sucessivamente. Ao fechar usa-se duas firmas brancas ou uma branca e uma preta.

Guia de Bejada:
A cor característica desse orixá, no Almas e Angola, é o rosa, porém nas suas guias pode-se mesclar com um pouco de contas azuis se a bejada for menino. A medalha deve ser de São Cosme e Damião.

Guia de Exú:
77 miçangas de cristal preta e 77 vermelhas número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se de 7 em 7 e fecha-se com duas firmas, uma vermelha e uma preta.

Guia de Pomba-gira:
78 miçangas de cristal vermelhas s 78 pretas de número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se três contas de cada cor e fecha-se com duas firmas (vermelha e preta).

Para as guias de Exú e Pomba-gira pode-se colocar medalhas sugestivas ou amuletos destas entidades.

Emidio de Ogum
publicado por espadadeogum às 18:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Guias e fios de conta da Umbanda


São colares feitos de miçangas coloridas representativas do orixá correspondente. São símbolos de um grande efeito mágico, quando cruzadas. As guias podem ser cruzadas com pemba ou amacy, ato oficiado pelo Pai de Santo ou por uma entidade espiritual deste.

Ao ser batizado na Umbanda, o filho de santo recebe a guia do Anjo da guarda ou de Oxalá. Ao fazer a primeira iniciação, ou seja, Borí, recebe as guias do Pai e da Mãe e opcionalmente a guia do seu responsável (caboclo ou preto-velho). Após, conforme seu desenvolvimento, poderá ir recebendo as guias dos outros orixás, sempre em comum acordo com o Pai de Santo. Por ocasião da segunda iniciação, Pai ou Mãe Pequena, recebe a guia correspondente e, quando da terceira iniciação recebe a guia de Babalaorixá ou Ialorixá.

Nos reforços de 7, 14 e 21 anos de babá o filho de santo recebe as guias correspondentes, ditadas pelo Pai de Santo no momento oportuno.

As guias devem ser tratadas pelos médiuns com todo carinho e o máximo de respeito pois elas representam o orixá e a segurança do médium.

Nenhuma pessoa estranha poderá tocar nelas e estas devem ser sempre limpas e guardadas no terreiro ou em algum lugar longe do alcance e visão dos curiosos. Lembre-se que as guias são objetos sagrados e como tal devem ser tratadas.

No ritual Almas e Angola cultuado conforme os preceitos ditados por Mãe Ida de Xangô e Pai Evaldo de Oxalá, os grandes baluartes deste segmento da Umbanda, as guias de sete fios são de uso exclusivo para os filhos de santo reforçados, ou seja, após o reforço de sete anos.

Damos alguns exemplos de guias utilizadas neste ritual:

Guia de Oxalá:
180 contas de massa de cor branca número 8 ou 150 contas número 10 e um crucifixo. Pode-se intercalar com miçangas brancas a cada 6, 7, 8, 10 ou 12 contas normais. Fecha-se a guia com duas firmas brancas leitosas. A guia de 7 fios com miçangas pequenas é aconselhável somente para o filho de santo que fizer reforço de 7 anos.

Guia de Orixá:
Quando é Pai de cabeça: 70 miçangas de cristal na cor do orixá, 60 miçangas de massa (porcelana) na mesma cor, número 10, 9 firmas vermelhas, 1 medalha do orixá (sincretismo católico). Podem, as miçangas serem todas de cristal (vidro). Intercala-se assim:

3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...
medalha
3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...

Quando o orixá não é dono da cabeça: 119 miçangas de cristal na cor do orixá, 51 miçangas de massa na mesma cor número 8 (podem ser todas de cristal ou com intercalos iguais a de Oxalá), 1 medalha do orixá e intercala-se assim:


7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma
medalha
7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma

Guia de Obaluaê:
Quando é Pai de cabeça: 137 miçangas pretas de cristal número 10, 10 miçangas brancas de massa número 12, 1 crucifixo. Intercala-se uma branca entre cada 13 pretas e ao fechar coloca-se 7 pretas de cada lado e por último duas firmas que podem ser duas brancas ou uma preta e uma branca.

Guia de Preto-velho:
90 miçangas brancas de massa e 90 pretas de massa ou cristal número 8, 1 crucifixo. Intercala-se 3 brancas e 3 pretas sucessivamente. Ao fechar usa-se duas firmas brancas ou uma branca e uma preta.

Guia de Bejada:
A cor característica desse orixá, no Almas e Angola, é o rosa, porém nas suas guias pode-se mesclar com um pouco de contas azuis se a bejada for menino. A medalha deve ser de São Cosme e Damião.

Guia de Exú:
77 miçangas de cristal preta e 77 vermelhas número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se de 7 em 7 e fecha-se com duas firmas, uma vermelha e uma preta.

Guia de Pomba-gira:
78 miçangas de cristal vermelhas s 78 pretas de número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se três contas de cada cor e fecha-se com duas firmas (vermelha e preta).

Para as guias de Exú e Pomba-gira pode-se colocar medalhas sugestivas ou amuletos destas entidades.

Emidio de Ogum
publicado por espadadeogum às 18:44
link do post | comentar | favorito
|

Guias e fios de conta da Umbanda


São colares feitos de miçangas coloridas representativas do orixá correspondente. São símbolos de um grande efeito mágico, quando cruzadas. As guias podem ser cruzadas com pemba ou amacy, ato oficiado pelo Pai de Santo ou por uma entidade espiritual deste.

Ao ser batizado na Umbanda, o filho de santo recebe a guia do Anjo da guarda ou de Oxalá. Ao fazer a primeira iniciação, ou seja, Borí, recebe as guias do Pai e da Mãe e opcionalmente a guia do seu responsável (caboclo ou preto-velho). Após, conforme seu desenvolvimento, poderá ir recebendo as guias dos outros orixás, sempre em comum acordo com o Pai de Santo. Por ocasião da segunda iniciação, Pai ou Mãe Pequena, recebe a guia correspondente e, quando da terceira iniciação recebe a guia de Babalaorixá ou Ialorixá.

Nos reforços de 7, 14 e 21 anos de babá o filho de santo recebe as guias correspondentes, ditadas pelo Pai de Santo no momento oportuno.

As guias devem ser tratadas pelos médiuns com todo carinho e o máximo de respeito pois elas representam o orixá e a segurança do médium.

Nenhuma pessoa estranha poderá tocar nelas e estas devem ser sempre limpas e guardadas no terreiro ou em algum lugar longe do alcance e visão dos curiosos. Lembre-se que as guias são objetos sagrados e como tal devem ser tratadas.

No ritual Almas e Angola cultuado conforme os preceitos ditados por Mãe Ida de Xangô e Pai Evaldo de Oxalá, os grandes baluartes deste segmento da Umbanda, as guias de sete fios são de uso exclusivo para os filhos de santo reforçados, ou seja, após o reforço de sete anos.

Damos alguns exemplos de guias utilizadas neste ritual:

Guia de Oxalá:
180 contas de massa de cor branca número 8 ou 150 contas número 10 e um crucifixo. Pode-se intercalar com miçangas brancas a cada 6, 7, 8, 10 ou 12 contas normais. Fecha-se a guia com duas firmas brancas leitosas. A guia de 7 fios com miçangas pequenas é aconselhável somente para o filho de santo que fizer reforço de 7 anos.

Guia de Orixá:
Quando é Pai de cabeça: 70 miçangas de cristal na cor do orixá, 60 miçangas de massa (porcelana) na mesma cor, número 10, 9 firmas vermelhas, 1 medalha do orixá (sincretismo católico). Podem, as miçangas serem todas de cristal (vidro). Intercala-se assim:

3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...
medalha
3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...

Quando o orixá não é dono da cabeça: 119 miçangas de cristal na cor do orixá, 51 miçangas de massa na mesma cor número 8 (podem ser todas de cristal ou com intercalos iguais a de Oxalá), 1 medalha do orixá e intercala-se assim:


7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma
medalha
7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma

Guia de Obaluaê:
Quando é Pai de cabeça: 137 miçangas pretas de cristal número 10, 10 miçangas brancas de massa número 12, 1 crucifixo. Intercala-se uma branca entre cada 13 pretas e ao fechar coloca-se 7 pretas de cada lado e por último duas firmas que podem ser duas brancas ou uma preta e uma branca.

Guia de Preto-velho:
90 miçangas brancas de massa e 90 pretas de massa ou cristal número 8, 1 crucifixo. Intercala-se 3 brancas e 3 pretas sucessivamente. Ao fechar usa-se duas firmas brancas ou uma branca e uma preta.

Guia de Bejada:
A cor característica desse orixá, no Almas e Angola, é o rosa, porém nas suas guias pode-se mesclar com um pouco de contas azuis se a bejada for menino. A medalha deve ser de São Cosme e Damião.

Guia de Exú:
77 miçangas de cristal preta e 77 vermelhas número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se de 7 em 7 e fecha-se com duas firmas, uma vermelha e uma preta.

Guia de Pomba-gira:
78 miçangas de cristal vermelhas s 78 pretas de número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se três contas de cada cor e fecha-se com duas firmas (vermelha e preta).

Para as guias de Exú e Pomba-gira pode-se colocar medalhas sugestivas ou amuletos destas entidades.

Emidio de Ogum
publicado por espadadeogum às 18:44
link do post | comentar | favorito
|

Guias e fios de conta da Umbanda


São colares feitos de miçangas coloridas representativas do orixá correspondente. São símbolos de um grande efeito mágico, quando cruzadas. As guias podem ser cruzadas com pemba ou amacy, ato oficiado pelo Pai de Santo ou por uma entidade espiritual deste.

Ao ser batizado na Umbanda, o filho de santo recebe a guia do Anjo da guarda ou de Oxalá. Ao fazer a primeira iniciação, ou seja, Borí, recebe as guias do Pai e da Mãe e opcionalmente a guia do seu responsável (caboclo ou preto-velho). Após, conforme seu desenvolvimento, poderá ir recebendo as guias dos outros orixás, sempre em comum acordo com o Pai de Santo. Por ocasião da segunda iniciação, Pai ou Mãe Pequena, recebe a guia correspondente e, quando da terceira iniciação recebe a guia de Babalaorixá ou Ialorixá.

Nos reforços de 7, 14 e 21 anos de babá o filho de santo recebe as guias correspondentes, ditadas pelo Pai de Santo no momento oportuno.

As guias devem ser tratadas pelos médiuns com todo carinho e o máximo de respeito pois elas representam o orixá e a segurança do médium.

Nenhuma pessoa estranha poderá tocar nelas e estas devem ser sempre limpas e guardadas no terreiro ou em algum lugar longe do alcance e visão dos curiosos. Lembre-se que as guias são objetos sagrados e como tal devem ser tratadas.

No ritual Almas e Angola cultuado conforme os preceitos ditados por Mãe Ida de Xangô e Pai Evaldo de Oxalá, os grandes baluartes deste segmento da Umbanda, as guias de sete fios são de uso exclusivo para os filhos de santo reforçados, ou seja, após o reforço de sete anos.

Damos alguns exemplos de guias utilizadas neste ritual:

Guia de Oxalá:
180 contas de massa de cor branca número 8 ou 150 contas número 10 e um crucifixo. Pode-se intercalar com miçangas brancas a cada 6, 7, 8, 10 ou 12 contas normais. Fecha-se a guia com duas firmas brancas leitosas. A guia de 7 fios com miçangas pequenas é aconselhável somente para o filho de santo que fizer reforço de 7 anos.

Guia de Orixá:
Quando é Pai de cabeça: 70 miçangas de cristal na cor do orixá, 60 miçangas de massa (porcelana) na mesma cor, número 10, 9 firmas vermelhas, 1 medalha do orixá (sincretismo católico). Podem, as miçangas serem todas de cristal (vidro). Intercala-se assim:

3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...
medalha
3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 1 firma...

Quando o orixá não é dono da cabeça: 119 miçangas de cristal na cor do orixá, 51 miçangas de massa na mesma cor número 8 (podem ser todas de cristal ou com intercalos iguais a de Oxalá), 1 medalha do orixá e intercala-se assim:


7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma
medalha
7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal - 3 massa - 7 cristal...1 firma

Guia de Obaluaê:
Quando é Pai de cabeça: 137 miçangas pretas de cristal número 10, 10 miçangas brancas de massa número 12, 1 crucifixo. Intercala-se uma branca entre cada 13 pretas e ao fechar coloca-se 7 pretas de cada lado e por último duas firmas que podem ser duas brancas ou uma preta e uma branca.

Guia de Preto-velho:
90 miçangas brancas de massa e 90 pretas de massa ou cristal número 8, 1 crucifixo. Intercala-se 3 brancas e 3 pretas sucessivamente. Ao fechar usa-se duas firmas brancas ou uma branca e uma preta.

Guia de Bejada:
A cor característica desse orixá, no Almas e Angola, é o rosa, porém nas suas guias pode-se mesclar com um pouco de contas azuis se a bejada for menino. A medalha deve ser de São Cosme e Damião.

Guia de Exú:
77 miçangas de cristal preta e 77 vermelhas número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se de 7 em 7 e fecha-se com duas firmas, uma vermelha e uma preta.

Guia de Pomba-gira:
78 miçangas de cristal vermelhas s 78 pretas de número 10 ou 84 de cada se for contas número 8. Intercala-se três contas de cada cor e fecha-se com duas firmas (vermelha e preta).

Para as guias de Exú e Pomba-gira pode-se colocar medalhas sugestivas ou amuletos destas entidades.

Emidio de Ogum
publicado por espadadeogum às 18:44
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Guias e fios de conta da ...

. Guias e fios de conta da ...

. Guias e fios de conta da ...

. Guias e fios de conta da ...

. Guias e fios de conta da ...

. Guias e fios de conta da ...

.arquivos

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds